Rede Corporativa
Santos - São Paulo - Brasil, 27 de setembro de 2020.
31/05/2007
Notícias
Seminário na AL discute valores do esporte no futebol
Termina nesta sexta-feira (01/06) seminário promovido pela Comissão de Esportes e Turismo da Assembléia Legislativa, com apoio da Federação Paulista de Futebol.
Programado para acontecer nos dias 30 e 31 de maio e 1º de junho, o seminário “Os valores do esporte no futebol – Capacitação de treinador de futebol” foi aberto na manhã desta quarta-feira, 30/5, no auditório Franco Montoro. Organizado pela Comissão de Esportes e Turismo, com o apoio da Federação Paulista de Futebol, o objetivo do seminário é capacitar treinadores de futebol da perifieria da Grande São Paulo e das cidades do interior, que compareceram em grande número ao evento.
Na mesa de abertura, presidida pelo presidente da Comissão de Esportes e Turismo, deputado Luciano Batista (PSB), estavam presentes os deputados Vicente Cândido (PT) – que também é vice-presidente da Federação Paulista de Futebol –, Conte Lopes (PTB), Enio Tatto (PT) e André Soares (DEM), todos membros da comissão, além do líder da bancada do PT, deputado Simão Pedro.
Todos enfatizaram a necessidade de que haja maior investimento do Estado no esporte e de que o Legislativo se engaje de forma mais efetiva nesse processo. “Se há investimento no esporte, gasta-se menos com Febem, com presídios, com saúde”, lembrou Tatto. Luciano Batista convidou a todos para participarem mais da política, através da qual pode-se mudar a realidade. “A partir da política, podemos fazer o esporte atingir com velocidade maior a criança e o jovem”, opinou.
As contribuições do esporte para a inclusão social foi o tema da primeira palestra do seminário, proferida pelo mestre em Educação e professor da Unicsul, Antonio Carlos Vaz. Segundo ele, a inclusão social, do ponto de vista profissional, proporcionada pelo futebol é insignificante. A mídia promove a ilusão de que o esporte é a saída para a mobilidade social, mas aqueles que de fato conseguem se profissionalizar e ganhar dinheiro fazem parte de uma parcela insignificante dos excluídos do sistema produtivo.
Mais grave ainda, considerou o palestrante, é o fato de que crianças são incentivadas a treinar desde muito cedo em escolinhas de futebol e depois não conseguem atingir a profissionalização, dificultando ainda mais a sua inserção em outros postos de trabalho, além de gerar uma imensa frustração, extremamente prejudicial para a auto-estima. “O fracasso é muito mais comum do que o sucesso”, afirmou.
Para o professor, é necessário que haja um processo de desalienação, por intermédio da conscientização das crianças e de suas famílias sobre a real dimensão do esporte na sociedade. O esporte só é inclusivo, considerou, quando não está a serviço da competição, mas é visto como um fim, um direito, um exercício de cidadania. “Onde há competição, seleção, há exclusão”, opinou.
Há de se entender o esporte como uma prática passível de ser aprendida. A criança deve aprender para jogar bem e se divertir, só assim não será expulso da brincadeira. O papel do professor e do técnico é fundamental, não como aquele que vai avaliar o desempenho para escolher uns e excluir a maioria, mas como o profissional que se dedica a ensinar a todos proporcionando um espaço de vida em que o indivíduo se sinta incluído.
Fonte: www.al.sp.gob.br


Atalhos da página


Diretório Estadual de São Paulo

Av. Indianópolis, 1.787
Planalto Paulista – São Paulo – SP - CEP 04062-003
Fones: (11)3804-4329 / (11) 3804-4451
E-mail:  ou 

PSB - Partido Socialista Brasileiro

Diretório Estadual de São Paulo
São Paulo - 2012 © Todos os direitos reservados.

Visualizado também em sistema operacional Apple Visualizado também em sistema operacional Android

Rede Corporativa e-Solution Backsite