Rede Corporativa
Santos - São Paulo - Brasil, 25 de junho de 2017.
26/07/2012
Grêmio
Grêmio
Grêmio
O QUE É GRÊMIO ?
O grêmio estudantil é a entidade que representa os alunos de uma escola. Essa entidade é autônoma, portanto sua organização é livre. São sócios do grêmio todos os alunos matriculados da escola. qualquer aluno pode se candidatar ou exercer qualquer cargo do grêmio.
 
PARA QUE SERVE O GRÊMIO ?
O grêmio tem a função de fazer valer os interesses e direitos dos estudantes através da participação das decisões e deliberações da escola, visando sempre o seu crescimento. O grêmio pode tornar a escola mais interessante e atrativa promovendo: o Atividades culturais como mostra de teatro, festivais musicais, sessões de video, jornal informativo, oficina de dança: o Atividades esportivas como campeonatos inter-classes, torneio inter-escolas: o Eventos sociais como festas, excursões e bailes.
 

COMO FORMAR UM GRÊMIO ?
1º A diretoria antiga marca a Assembléia Geral dos Estudantes , divulgando a data e a idéia de fomar o grêmio em todos os periodos. Se não houver ninguém da ultima gestão da escola, então quem marca são os representantes de classe ou os estudantes inte- ressados em criar a entidade:

2º Os alunos ou a antiga diretoria organizam esboço do Estatuto do grêmio e descu- tem com os alunos. O estatuto pode ser feito com base em um modelo oferecido pela UPES (união paulista de estudantes secundaristas) que precisa ser adaptado de acordo com a realidade de cada escola.

3º Já na assembléia o estatuto é discutido e aprovado, cria-se uma comissão eleitoral e marca-se o dia da eleição.

4º As chapas se inscrevem na comissão eleitoral e começa a fazer campanha, mostra- ndo aos alunos suas propostas.

5º A diretoria é eleita, o grêmio toma posse e começa a funcionar. O dia da Assembléia deve ser marcado com bastante antecedência para que todos os alunos participem. A divulgação também é importante, e pode ser feita através de cartazes, através dos representantes de classe e com a ajuda dos professores. Alguns alunos não se interessam em participar porque não entendem para que serve a assembléia , por isso o segredo para maior participação de todos é explicar qual a sua finalidade, de uma forma clara, conscientizando-os de sua importância na construção do grêmio estudantil. Para realizar a assembléia é preciso respeitar o quorum exigido no estatuto do grêmio. O quorum define o nº minimo de sócios que devem estar presentes na assembléia para que ela seja legitima, e normalmente é de 5% dos alunos matriculados na escola o ideal é que seja feita em local espaçoso, de preferencia anfiteatro (se tiver) ou no pátio. Se a escola for grande também seria bom usar equipamento de som, por isso é bom conversar com a direção escola para acertar todos esses detalhes.

 
ESTATUTO DO GRÊMIO ESTUDANTIL
Qualquer associação precisa de um estatuto, porque é um documento que fixa os seus objetivos e finalidades, caracteriza os sócios e atribui direitos e deveres. Com o grêmio estudantil também é assim. O grêmio é eleito mas não pode fazer tudo de acordo com a sua vontade, ele precisa seguir as normas do estatuto que foi discutido e aprovado pelos estudantes em assembléia geral. O estatuto é a garantia dos alunos de que o grêmio eleito vai de fato representa-los, por isso é importante intensa participação de todos na sua elaboração. Existe alguns modelos de estatuto como o da secretaria estadual de educação (SEE) os quais se pode tomar como base para iniciar a discussão, porém, eles devem ser adaptados à realidade de cada escola mediante a necessidade de seus estudantes. O ideal seria que os alunos tivessem um prévio conhecimento do que é estatuto, para poderem elaborar propostas, amadurecendo assim discussão na assembléia. Para isso pode-se entregar um modelo de estatuto para cada representante de classe discutirem com seus colegas de sala, favorecendo desse modo, o surgimento de grupos de discussões. Também é bom fixar os modelos nos murais da escola.
 
COMISSÃO ELEITORAL
É eleita na assembléia geral. Os alunos interessados se candidatam e são votados. O numero de membros da comissão é definido na assembléia. A comissão eleitoral tem a responsabilidade de fiscalizar todo o processo eleitoral, desde a inscrição das chapas até a apuração dos votos.
 
A COMISSÃO DEVE
-Divulgar o período de inscrição das chapas:
-Fazer a inscrições das chapas
-Verificar se as chapas estão de acordo com o estatuto aprovado e se os seus membros são matriculados na escola
-Fiscalizar as campanhas
-Recolher os votos dos alunos
-Apurar os votos
-Divulgar o resultado da eleição, assim como o número de votos para cada chapa. "A comissão eleitoral deve ter caráter totalmente neutro e imparcial , por isso deve ser composta por membros de todos os períodos da escola, que não pertençam às chapas do grêmio." Formação e inscrição de das Chapas A formação das chapas deve estar de acordo com o artigo relativo a diretoria que consta no estatuto aprovado na assembléia. Ex: se no estatuto consta que a diretoria deve ser composta por 13 cargos, então a chapa deverá ter 13 membros candidatos à eleição. As chapas deveram se inscrever com a comissão eleitoral no período determinado na assembléia. As inscrições devem constar no livro ata do grêmio. Para montar uma chapa seria bom envolver alunos de todos os períodos e de várias séries, para que se for eleita, possa representar melhor toda escola. Qualquer estudante tem direito de fazer parte de uma chapa ou de montar uma, exceto se não for matriculado na escola, ou se fizer parte da comissão eleitoral.
 
CAMPANHA ELEITORAL
A campanha pose ser feita de várias maneiras
-Com cartazes
-Com panfletos
-Conversando com cada estudante
-Passando nas classes para apresentar a chapa e mostrar mostrar as propostas de trabalho. O importante é sempre tentar mostrar o que se pretende fazer pela escola e pelos alunos.
 
ELEIÇÕES
A eleição de Grêmio Estudantil é direta ou seja, todos os alunos podem votar. Como todos tem o direito de votar, a Assembléia Geral deliberará quanto a votação do primário se houver votação, é importante relacionar as chapas por cor colocando na cédula, ao lado dos nomes das chapas as cores correspondentes. No ato da eleição a comissão a comissão eleitoral não pode deixar de estar presente, tomando a frente das organizações junto com um representante de cada chapa. Para garantia da democracia deve-se ter na eleição apenas uma lista e uma urna pode ser volante ou fixa. Terminando a eleição é necessário que a urna seja lacrada na frente de pelo menos 3 pessoas sendo que geralmente uma delas é um professor ou membro da direção da escola, que assinarão o lacre feito com fita crepe,ou mesmo papel sulfite colado.
 

CONVOCATÓRIA 
A coordenação estadual da Juventude Socialista Brasileira , seguindo as orientações da executiva estadual do PSB-SP convoca todos os seus coordenadores estaduais para próxima reunião ordinária da JSB - SP.

1º A reunião da JSB - SP será realizada na sede municipal do PSB em Santos -SP no próximo dia 07 de Maio de 2000 à parti das 9:00 horas da manhã sito Avenida: Senador Dantas Nº 426, Bairro Imbaré. .

2º A Pauta da da reunião será pela ordem:

a) Posse dos coordenadores eleitos no ultimo congresso.
b) Calendário de atividades e eventos.
c)Definição de representações legais. 3º Os casos omissos neste documento serão resolvidos pela coordenação estadual da JSB-SP. "Observação importante, somente participará da reunião os membros eleitos no congresso, aqueles que forem indicados por suas respectivas cidades ou aqueles que forem convidados oficialmente pela coordenação estadual da JSB-SP." A/C : Secretario Municipal de Juventude do PSB de Diadema Exmo: Sr º Ademir Maiores informações c/ Adriano no tel:(011)9715-3333 Queremos dizer que acima de tudo a intenção do Grêmio não é brigar com a direção da escola ou com os professores mas sim construir junto com eles a escola dos nossos sonhos : Bonita, Crítica e Democrática. topo

Proposta de Material para campanha:

"TODA ESCOLA PRECISA DE UM GRÊMIO"
SIGNIFICADO E IMPORTÂNCIA DE UM GRÊMIO ESTUDANTIL

 
O GRÊMIO ESTUDANTIL
O Grêmio Estudantil é um órgão composto somente por estudantes. Ele deve estar sempre preocupado em tornar realidade as aspirações da maioria daqueles que estudam num estabelecimento de ensino. Ele é geralmente composto por uma diretoria eleita pelos estudantes que deverá trabalhar com diversos departamentos. Cada departamento contará com uma equipe de estudantes encarregada de buscar novas maneiras de envolver o maior número de alunos possível no planejamento, execução e avaliação de atividades significativas para eles. Por exemplo, o Departamento de Imprensa cuida da elaboração do jornalzinho da escola e o Departamento de Esportes da Organização de torneios e eventos esportivos em geral. O Grêmio é uma entidade autônoma que deverá funcionar sem supervisão de professores. Mas , podem surgir momentos em que os estudantes, não conseguindo resolver determinados problemas sozinhos, necessitem de ajuda de algum professor. Por exemplo o Departamento de Imprensa poderá pedir aos professores de português que façam a revisão do jornal , e o Departamento de Esportes poderá conta com o auxílio dos professores de Educação Física na organização de torneios. Mas, estudantes e professores deverão tomar certos cuidados ao trabalharem juntos. A autonomia do grêmio, entidade gerida apenas por estudantes, jamais poderá ser desrespeitada pêlos professores ou pela direção da escola. O grêmio existe para organizar a luta dos estudantes por uma escola melhor.
 

O QUE SIGNIFICA GRÊMIO - LIVRE ?
a) O GRÊMIO NOS ANOS 60. Em 1964, através de um golpe militar, o Brasil deixou de ser uma democracia. Vários setores da população não aceitavam o golpe de 64 e passaram a lutar pela democracia e pela igualdade de direitos neste pais. Apesar de no primeiro dia do golpe (01/04/64), a sede da união nacional de estudantes (UNE) Ter sido saqueada e incendiada pelos partidários do movimento 1º Abril, a repressão e as perseguições do primeiro governo militar não se abateram sobre o movimento estudantil com a mesma intensidade com que se manifestaram em relação ao movimento sindical. Dessa forma, houve possibilidade de os estudantes se organizarem e passarem alutar quase sozinhos contra a nova situação que se encontrava o Brasil. Tendo como ano áureo 1968, o movimento estudantil ofereceu grande resistência ao regime militar, Funcionando como principal porta - voz dos descontentamentos da sociedade. Também os estudantes secundaristas participaram dessa luta pela implantação da democracia no pais. Organizados em torno de seus grêmios e diretórios estudantis e da UBES (União Brasileira de Estudantes Secundaristas), os estudantes de 1º e 2º grau tiveram papel destacado nas lutas contra a ditadura. Muitos secundaristas, assim como outros trabalhadores, foram presos, torturados e mortos como o estudante secundarista Edson Luiz morto pela ditadura há 30 anos. O crescimento do movimento estudantil correspondeu a uma violenta reação do governo militar. Entidades estudantis foram consideradas ilegais e seus membros passaram a ser perseguidos. Congressos organizados pela UBES e pela UNE tiveram que ser realizados clandestinamente,porque estavam proibidos pela ditadura militar. A partir de 1968, foi proibida também a existência de grêmios-livres nas escolas. Os que tentaram mantê-los ou reorganiza-los foram presos, torturados e alguns foram até assassinados. Com as prisões, processos e mortes de estudantes,o movimento secundarista foi perdendo sua força até praticamente desaparecer nos primeiros anos da década de 70. b)REORGANIZAÇÃO DOS GRÊMIOS E CARACTERÍSTICAS DO GRÊMIO LIVRE. Refazendo a duros golpes implementados pela repressão, o movimento secundarista se organizou de forma efetiva na década de 80. Em 1985, graças a luta dos estudantes mais conscientes, foi foi aprovada a lei nº 7.398 que garantiu aos secundaristas a existência legal de grêmio - livre. Vamos agora enumerar algumas características do grêmio - livre, garantidas pela lei nº 7.398.

1)Quem coordena a implantação do grêmio são os próprios estudantes.

2)Os estatutos do grêmio são elaborados e aprovados livremente (e somente) pelos estudantes.

3)As chapas concorrentes à diretoria do grêmio são formadas pelos estudantes e qualquer estudante pode candidatar-se para ocupar o cargo no grêmio estudantil.

4)Só os estudantes são associados ao grêmio estudantil. Um grêmio não pode apenas cuidar de atividades recreativas e culturais, mas também deve levar à frente lutas dos estudantes pela melhoria do ensino, por um tratamento mais digno, por mais democracia na escola na escola e participar das lutas mais gerais que os movimentos sociais realizam. Um órgão de estudantes que só pensa em promover festas e torneios não estará contribuindo para formar um estudante consciente e capaz de lutar pelos seus direitos. Um grêmio que só cuida de reivindicar e conduzir lutas não consegue apoio e participação de muitos colegas esquecendo-se assim de procurar atingir suas metas mais importantes, que é a de tornar a escola mais prazerosa e proveitosa para os estudantes. Promovendo a luta reivindicatória e política, sem se esquecer das atividades recreativas e culturais, o Grêmio Estudantil acaba se transformando no órgão mais importante da escola, porque ele representa os estudantes. Afinal não é por causados estudantes que ela existe.

 
OS PRIMEIROS PASSOS
O Primeiro passo para formar um grêmio é reunir os estudantes mais interessados em participar do processo e fundar a COMISSÃO PRÓ - GRÊMIO cuja função principal será motivar todos que estudam na escola para atuar no sentido se implantar e fortalecer a entidade. Mesmo que todos queiram participar, é fundamental para o sucesso de um grêmio que nenhum estudante ignore o que é grêmio estudantil e para que ele existe. Para se levar a conscientização do estudante sobre o que é, para que existe e como funciona o grêmio, é necessário que os divulgadores das primeiras informações tenham aceso a todas as turmas da escola. O ideal seria que professores (abertos e democráticos) usassem, nessa fase, suas próprias aulas para ajudar nos primeiros trabalhos. Mas, na falta professores dispostos a colaborar, os próprios estudantes devem procurar ter um colega em cada sala de aula para fazer o trabalho inicial de divulgação da ideia do grêmio. Horários livres ou aulas cedidas pelos professores poderão ser usadas para se iniciarem as discussões.
 

"TODA ESCOLA PRECISA DE UM GRÊMIO"
Corra e construa o seu. A comissão PRÓ - UMESITA da a maior força.
Rua: Maranhão Nº 94 1º andar Parque Paraiso - Itapecerica da Serra.
Procure pelo Diretor da Upes Adriano Almeida no fone: 9715 - 3333.
Pesquisa padrão de existência de Grêmios estudantis
.

 

- O grêmio é existente e atuante ?
- O grêmio foi fundado mas não é atuante ?
- Nunca existiu grêmio na escola ?
- O grêmio esta em processo de eleição ? Assinale com x a situação do grêmio em sua escola, lembrando que grêmio atuante é aquele que esta inserido e participa de maneira ativa do dia a dia da comunidade escolar.

________________________
Carimbo e ass: do Diretor.

 

Proposta de governo para Políticas Públicas de Juventude elaborada com base no debate interno da Juventude Socialista Brasileira em plenária municipal das bases do Partido Socialista Brasileiro de Itapecerica da Serra. A Juventude Socialista Brasileira defende no âmbito das esferas dos poderes públicos instrumentos de estado voltados para a interlocução e representação do movimento juvenil e para implementação e execução de políticas públicas comprometidas com as demandas dos jovens do município de Itapecerica da Serra. Nesse sentido, gostaríamos de propor as seguintes reflexões e propostas sobre o debate: (visão de governo) O desenvolvimento de políticas públicas para a juventude é função inerente ao município enquanto agente ativo no processo de amenização da crise social e da criação de condições para o efetivo desenvolvimento social e economico da cidade. Para isso a criação de instrumentos como secretarias, departamentos ou conselhos, no âmbito do município é de fundamental importância para demonstração de que uma das principais características da prefeitura de Itapecerica da Serra foi ter se voltado para a participação do povo e sua opinião no que tange as maiores decisões da cidade. Na presente década, a reação neoconservadora vem arrasando tudo o que diz respeito aos direitos dos jovens e dos trabalhadores. Entendemos que o município precisa dispor de instrumentos para melhor diagnosticar a realidade juvenil, criando canais para sua expressão institucional independente, que incentivem sua participação, interlocução e apoio, dispondo-se do instrumento do executivo na coordenação horizontal e implementação vertical de políticas públicas direcionadas a juventude. (03 eixos de uma Política municipal de juventude)

1. É preciso que os municípios, ainda que amordaçados financeiramente pelo governo federal demonstrem e assumam compromissos junto a jovens, a partir de suas principais demandas em áreas como emprego, educação, participação, cultura, meio ambiente e violência. Os elementos principais para ação do município em matéria de juventude devem ser baseados nos seguintes compromissos principais dentre outros.

2. Diagnosticar a realidade, sistematizar experiência e políticas e debater problemas juvenis visando a adoção de medidas e iniciativas do poder público.

3. Incentivar e apoiar o associativismo e a participação dos jovens, bem como as ativiades e ações dos jovens e suas organiozações. (instrumentos) Para isso, a estrutura administrativa do município deve comportar instrumentos institucionais de estado (Conselho de Juventude) e de Governo (Secretaria ou Assesseoria de Juventude), que cumprirão funções de expressão e representação no primeiro caso e de execução e articulação de governo no caso do segundo. Depende, portanto fundamentalmente da existência de formas institucionais que garantam a execução dessas medidas, aliados a participação dos jovens na concepção e execução desses programas, bem como a existência de condições mínimas de funcionamento e financiamento apoiado pelo poder público. Acreditamos ser necessário que essas formas contemplem maneiras de por um lado o município ter instrumentos que o permitam executar políticas públicas e manter-se enquanto agente ativo do desenvolvimento social e por outro possuir interlocução com o movimento juvenil, interagindo com base nos interesses da população jovem. A existêcia de instrumentos institucionais distintos (um executivo e outro de interlocução ) é a principal garantia de que o município não aja no sentido de cooptar o movimento, nem que este abra mão de sua independência e acabe se incorporando ao governo.

Nesse sentido propomos:

1. Criação da Secretaria Municipal da Juventude e Lazer. Propomos a criação no âmbito do governo de uma Secretaria de Juventude e Lazer ou uma Assessoria, com autonomia e recursos orçamentarios próprios. Ela terá o caráter de organismo governamental na execução, e coordenação da implementação de políticas públicas em matéria de juventude. Sua operação se dará em dois sentidos: um vertical, via a implementação direta de programas de juventude e outra horizontal, de articulação da ação em matéria de juventude nos diversos organismos do governo municipal. A existência de uma secretaria em si, demonstra maior capacidade de intervenção e de condição política para as políticas juvenis e portanto maior visibilidade social do município.

2. Criação do Conselho Municipal de Juventude. Acreditamos que os jovens, por meio de seus movimentos organizados devem possuir, canais de representação e interlocução junto ao município. A discussão e eventual adoção de suas propostas agrega legitimidade ao governo e permite a participação popular efetiva da chamada sociedade civil organizada. Por isso propomos o envio de uma proposta a câmara municipal de projeto de lei que crie o Conselho Municipal de Juventude que normatize a existência dessa estrutura à partir de determinados princípios de sua existência enquanto instrumento de relação da administração municipal com a sociedade. O conselho, na forma que defendemos precisa ser Autônomo, no que diz respeito a sua relação com o governo, em suas opiniões e formulações e no seu funcionamento e na eleição de sua direção. E precisa ser Democrático, representando o conjunto da juventude em suas mais diversas expressões. Entidades e Setores à convidar para a participação no CMJ;

Juventudes Partidárias e /ou Políticas;
Juventudes organizadas nos bairros;
Ecologistas e ambientalistas;
Movimento Estudantil;
ONG's de Educação;
Voluntários o Mulheres Jovens;
Jovens Empresários / Empresa Junior;
Movimento de Capoeira;
Jovens Esportistas;
Movimento Cultural;
Grupos jovens de Dança e Musica;
Cientistas Jovens;
Movimentos Juvenis pela Paz;
Jovens Religiosos;
Juventudes Rurais;
Jovens GLS o Antiracista / Negros Atividades, Setores, Comissões ou Campanhas para atuação no Conselho;
Relações Internacionais;
Mulheres Jovens;
Políticas de Juventude;
Relações Institucionais;
Educação;
Emprego;
Participação e Associativismo;
Direitos Juvenis e Direitos Humanos;
Educação Sexual e Prevenção a AIDS;
Drogas;
Saúde;
Meio Ambiente;
Juventude do Campop;
Combate ao racismo e a Discriminação Social;
Formação Intelectual;
Comunicação em massa;
Finanças Públicas.



Atalhos da página



Diretório Estadual de São Paulo

Av. Indianópolis, 1.787
Planalto Paulista – São Paulo – SP - CEP 04062-003
Fones: (11)3804-4329 / (11) 3804-4451
E-mail:  ou 

PSB - Partido Socialista Brasileiro

Diretório Estadual de São Paulo
São Paulo - 2012 © Todos os direitos reservados.

Visualizado também em sistema operacional Apple Visualizado também em sistema operacional Android

Rede Corporativa e-Solution Backsite